Powered by WP Bannerize

Rss

Sinproesemma cobra acordo da prefeitura para garantir quadro de professores em Esperantinópolis

A rede municipal de Esperantinópolis está enfrentando a falta de profissionais do magistério, após a prefeitura demitir os trabalhadores que prestavam serviço em regime de contrato temporário. A medida é questionada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) que tem lutado para encontrar uma saída e garantir a oferta do ensino no município.

O problema se agrava porque os professores efetivos acabando sendo sobrecarregados pelo preenchimento da lacuna deixada com o corte de trabalhadores. “A prefeitura quer voltar a carga horaria para 16 aulas”, afirma o coordenador do núcleo, Paulo César da Silva, que teme a perda da jornada de um terço destinada planejamento escolar, uma conquista da categoria.

A medida tomada pela prefeitura ocorreu após o gestor ser acusado de improbidade administrativa pelo Ministério Público Estadual, que recomendou a realização de concurso público e a demissão de todos os contratados.

Segundo os dirigentes do Sinproesemma, a realização do concurso público é primordial para a educação e é bandeira do sindicato, no entanto, é preciso observar que, até a nomeação de novos servidores, a prefeitura precisa garantir os contratos para não prejudicar o andamento do ano letivo nem sobrecarregar os professores efetivos da rede..

“É papel da prefeitura firmar um acordo, no sentido de se comprometer em fazer o concurso, enquanto não é realizado, deve convocar os demitidos”, defende a secretária de Representação dos Núcleos Municipais, Janice Nery, que participa das negociações.