Powered by WP Bannerize

Rss

Educadores de Esperantinópolis aprovam campanha salarial 2018

Educadores da rede municipal de ensino de Esperantinópolis, Centro do Maranhão, aprovaram a pauta da Campanha Salarial de 2018, que será objeto de diálogo com a prefeitura do município, na luta em defesa da educação pública na cidade. O documento, composto por 16 itens relacionados à valorização e à infraestrutura das escolas, foi aprovado pela categoria, em assembleia, realizada na última quinta-feira (4), sob coordenação do núcleo municipal do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma).

O principal item é a recomposição salarial de 6,81%, referente à atualização do piso nacional do magistério. Os educadores querem que a prefeitura conceda, imediatamente, o percentual nas remunerações do profissionais, como define a lei, garantindo a valorização da carreira.

Ainda em relaciona à valorização dos servidores, a categoria reivindica o reajuste nos percentuais de gratificação do magistério (10%), graduação (50%), especialização (20%), mestrado (25%) e doutorado (30%).

Para os agentes administrativos que atuam na educação, a categoria aprovou a solicitação de aumento para R$300, como incentivo a quem está nas escolas contribuindo para o desenvolvimento da educação.

Ampliação

Com base no processo de ampliação de jornada, em vigor na rede estadual, e também em alguns municípios, os educadores de Esperantinópolis adicionaram à pauta de 2018 a criação da ampliação da jornada, instrumento pelo qual o servidor poderá ampliar sua jornada de trabalho de 20h para 40h, com remuneração equivalente e uma única matrícula. O objetivo é diminuir o déficit de profissionais na rede, aproveitando os profissionais ativos do município.

Transparência

Além disso, os educadores cobram da prefeitura a definição do calendário de pagamento do funcionalismo municipal, incluindo décimo terceiro e férias, com o objetivo de evitar surpresas, como ocorreu no ano passado. A ideia é obrigar a prefeitura a se organizar financeiramente e pagar os profissionais no dia programado.

Ao lado dessa cobrança, a categoria também quer ter acesso, mensalmente, à folha de pagamento, a fim de saber se os valores repassados pelo governo federal estão sendo aplicados exclusivamente com servidores da educação.

Também compõe o documento, a melhoria da infraestrutura das escolas e também a qualidade da merenda escolar, itens fundamentais para garantir o acesso e o aprendizado das crianças e adolescentes.

Segundo o coordenador do núcleo, Paulo Silva, o Sinproesemma já encaminhou a pauta ao poder executivo municipal. “Esperamos em breve estar negociando esta pauta com a administração, para que possamos avançar em nossas conquistas”, comenta o dirigente.