Powered by WP Bannerize

Rss

Professores de Buriti Bravo lutam contra o aumento da jornada

Professores da rede municipal de Buriti Bravo estão em luta para que a prefeitura recue na medida ilegal de alterar a jornada de trabalho da categoria. Para 2018, a prefeitura alterou o tempo de presença dos servidores em sala de aula. Na semana passada, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma)  participou de reunião com a gestão municipal, buscando assegurar o direito previsto na Lei do Piso, que estabelece um terço da jornada para atividades de planejamento.

A tese de adequação da jornada dos professores, levantada pela prefeitura, que usa orientações da Federação de Municípios do Estado do Maranhão (Famem) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), é veementemente rechaçada pelo Sinproesemma.

Segundo os dirigentes, ao aumentar a jornada de 13 para 16 aulas, a categoria perde o benefício garantido na lei nacional do piso do magistério, que assegura um terço da carga horária para o planejamento escolar, e, por isso, não se trata de adequação, mas de “violação de um direito”, como afirma o sindicato.

Avaliação

Na reunião, que contou com as presenças da secretária de Representação de Núcleos Sindicais, Janice Nery, e do secretário de Patrimônio e Administração, ambos da direção estadual do Sinproesemma, a prefeitura se comprometeu em apresentar avaliar a contestação do sindicato. A resposta, que está sendo aguardada pelo núcleo sindical de Buriti Bravo, será levada à categoria, em assembleia, ocasião em que, os professores avaliarão se entram em greve